Olá,  seja bem-vindo!  |  Entrar  |  Criar conta  |  Precisa de ajuda?

Polícia>> Irmãos do vice-gorvernador, Omar Aziz são acusados de agressão à professor de Jornalismo da UFAM

Publicado para Jerry Araújo em terça-feira, 12 de maio de 2009 | 12.5.09

De: Jerry Araújo. E-Mail: manausmanabus@ymail.com, com informações do Portal G1, e Agência Estado/AE
O coordenador do curso de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), professor doutor Gilson Monteiro, foi agredido no final da tarde de ontem (11), enquanto ministrava aula para alunos do primeiro período de Jornalismo. Segundo o professor Monteiro, os agressores foram Amim e Mansur Aziz, irmãos do vice-governador do Estado, Omar Aziz. A delegacia da Polícia Federal (PF) abriu inquérito para apurar a denúncia feita pelo professor e reitoria da UFAM.

De acordo com o professor, a discussão acadêmica sobre a 'influência política na prática de jornalismo em Manaus', onde quis relatar que os maiores poderes de mídia da cidade estão sendo influenciados por políticos inportantes da capirtal, como meio de ataque. Durante aula da disciplina Tópicos Especiais em Jornalismo I, ganhou proporções inesperadas depois que ele citou como exemplo a cobertura das denúncias e o suposto envolvimento do vice-governador Omar Aziz em casos de pedofilia no ano de 2005. Omar teve o nome citado na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Congresso Nacional que investigava a Exploração Sexual Infantil no País por parte da Câmara dos Deputados naquele ano.

"Foi nesse momento que uma aluna (Samara Aziz) se levantou, disse que eu não poderia falar aquilo, e se retirou da aula. Vinte minutos após ela retornou, acompanha do pai, Mansur Aziz, e do tio, Amim Aziz. Ele (Amim Aziz) perguntou se eu era o professor da disciplina e foi logo me agredindo. Deu socos, pontapés e me derrubou, além de fazer gestos de que estava descarregando uma arma em cima de mim, enquanto eu me defendia. O outro (Mansur Aziz), me agredia verbalmente", disse.

Após o ocorrido, Monteiro relatou o caso à reitoria da universidade, registrou boletim de ocorrência em uma unidade da Polícia Civil e termo de declaração na sede da PF em Manaus, além de fazer exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML). "Sou servidor público federal e vou solicitar segurança, por agentes dessa esfera, pra mim e minha família, porque fui ameaçado." A Ufam ainda não se pronunciou sobre o assunto.

>>'Exagero ao agredir'

À imprensa local, Amim Aziz confirmou ter tomado a atitude que ele mesmo considerou como "exagerada" e disse estar arrependido do que fez. Mas disse que agiu dessa forma depois de ver a sobrinha de 17 anos chorando e dizendo que havia sido agredida pelo professor. "Fui lá defender a minha família, como qualquer pai faria. Agi de sangue quente." A aluna é considerada pelo tio como uma filha.

>>Omar repudia agressão ao professor por parte dos irmãos e cobra provas de pedofilia do professor

Em entrevista coletiva, o vice-governador Omar Aziz preferiu não comentar o envolvimento do irmão no caso, mas informou que vai processar o professor da Ufam.

Ainda durante a coletiva, o vice governador pediu desculpas à comundade acadêmica e disse que o seus irmãos, Amin e Mansur Aziz, que invadiram a sala de aula e que Amim agrediu o professor Monteiro, deve responder pelo seu ato."Meu irmão é maior de idade e sabe o que faz. Agora, eu desafio as pessoas que falam essas coisas de mim, por maldade, a apresentar provas contra essa acusação. Vou tomar providências", afirmou.

O vice-governador apresentou documentos que comprovam que nunca esteve envolvido com casos de pedofilia, e lamentou que o professor o tenha atacado dentro de sala de aula.

Permitida reprodução deste citada a fonte.

2 Comentários:

Anônimo disse...

Se eu for a qualquer orgão público sou confrontado com uma placa que diz que, segundo a lei xyz, qualquer agressão a funcionários público é crime. Um funcionário público federal é espancado dentro de um orgão federal simplesmente porque o Amazonas ainda vive na época do coronelismo. Se não fosse assim, ao invés de dizer que processaria o professor o Exmo. Sr. Vice Governador seria o primeiro a defender a abertura do processo civil e criminal contra o próprio irmão. Mas, infelizmente, isso não vai acontecer.

Anônimo disse...

A comunidade acadêmica está revoltada com tanto provincianismo na Cidade de Manaus, desde a questão da meia-passagem até esse caso de agressão ao professor.

Postar um comentário

?Leia abaixo antes de comentar

* Todos os comentários são moderados;
* Comentários em 'anônimo' serão rejeitados;
* Comente somente o que for referente ao tema publicado;
* Ofensas pessoais ou spam serão rejeitados;
* Obrigado por sua visita no Manaus em Notícia e volte sempre!