Olá,  seja bem-vindo!  |  Entrar  |  Criar conta  |  Precisa de ajuda?

Fora de Manaus: Médicos devem retirar órgãos de Eloá para doação hoje à noite

Publicado para Jerry Araújo em domingo, 19 de outubro de 2008 | 19.10.08

Imagem do Orkut de Lindemberg F. Alves, na álbum com os dizeres ''SÓ A MORTE NOS SEPARA''
Fonte: G1
Os pais de Eloá Cristina Pimentel, 15 anos, já assinaram a autorização para doar todos os órgãos dela, informou a diretora do Centro Hospitalar de Santo André, no ABC, Rosa Maria Aguiar, na tarde deste domingo (19).

Veja a cobertura completa do seqüestro em Santo André

Agora, médicos do hospital e do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia fazem exames para checar quais órgãos podem ser doados. Possíveis receptores também vão ser identificados com a realização dos exames laboratoriais.

A retirada dos órgãos só deve ser feita a partir da noite deste domingo (19), segundo Rosa Aguiar. Médicos estimam que o corpo de Eloá seja liberado para exames no Instituto Médico Legal na madrugada desta segunda-feira (20).

"Provavelmente esses órgãos vão ser retirados mais pra noite ou madrugada", disse a diretora do hospital.

Uma equipe do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia chegou, por volta das 12h deste domingo (19), ao Centro Hospitalar de Santo André, no ABC, para iniciar o processo de retirada dos órgãos da estudante Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, que teve morte cerebral. A família da jovem, baleada pelo ex-namorado Lindemberg Alves, 22 anos, após cem horas como refém, autorizou nesta manhã a doação dos órgãos.

O primeiro procedimento dos médicos antes da retirada dos órgãos é fazer exames para saber que tipo de doadora é Eloá. Esse processo pode durar de seis a 12 horas, de acordo com o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, que foi ao centro hospitalar no início desta tarde acompanhado de Luiz Antonio Marrey, titular da Justiça. Eles disseram que foram prestar solidariedade às famílias de Eloá e de Nayara Silva.

A confirmação da morte cerebral foi feita a partir de uma série de exames, que foram repetidos com um intervalo de seis horas neste sábado (18). Entre eles, exames laboratoriais, para analisar a dosagem de gases diluídos no sangue da paciente, exames de reflexos neurológicos e motores e um último, “que constatou a ausência de fluxo sanguíneo pelas artérias cerebrais”, explicou Nepomoceno. “Juntos, realizados em períodos diferentes, e com o mesmo diagnóstico eles confirmam a morte cerebral”, afirmou.

Permitida reprodução deste citada a fonte.

Publicidade