Olá,  seja bem-vindo!  |  Entrar  |  Criar conta  |  Precisa de ajuda?

Política>> Indígenas discutem saúde diferenciada na área urbana

Publicado para Jerry Araújo em segunda-feira, 4 de maio de 2009 | 4.5.09

Fonte: Portal da CMM
Indígenas das etnias Sateré, Tikuna e Tukano residentes em Manaus participaram de audiência pública para debater as necessidades de atendimento médico e ambulatorial diferenciado. Na audiência proposta pelo presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Manaus, vereador Homero de Miranda Leão (PHS), os índios tiveram acesso a informações sobre o primeiro Plano Municipal de Saúde Indígena elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA).

A audiência pública foi realizada na tarde de quinta-feira, 30, no Plenário Adriano Jorge e contou com a presença de representantes do Conselho Municipal de Saúde, dos Distritos Integrados de Saúde (Disa), Semsa e Ministério Público Estadual (MPE).

Outra solicitação foi a presença de um responsável técnico pela saúde indígena nos Disa Leste, Sul, Norte e Oeste. São eles que garantem e agilizam a inclusão dos indígenas no Sistema Único de Saúde (SUS), verificando a existência de leitos disponíveis e métodos de atendimento que melhor se empregam às populações tradicionais.

Com informações adquiridas pelos responsáveis técnicos já foi possível mapear doenças, vincular os serviços necessários a cada paciente, direcionar fluxo de atendimento, entre outros. Segundo a socióloga e responsável pelo departamento de saúde indígena da Semsa, Paula Azevedo, há estimativa de que vivam na capital e na área rural cerca de 20 mil índios de diferentes etnias. Porém, apesar disso, há grande deficiência em todos os níveis de atendimento disponibilizados pelo SUS.

"Nem mesmo os cadastros nas unidades de saúde representam as particularidades indígenas, com isso a realidade dessa população se perde e nós não temos como fazer avaliações sobre o atendimento prestado. Para modificar essa realidade há cerca de dois meses os profissionais da Semsa, tanto da área urbana quanto rural, estão participando de um Curso de Antropologia em Saúde Indígena. Até o momento 160 profissionais de Manaus e cerca de 55 da área rural já participaram do curso", informou.

Conforme o presidente da Comissão de Saúde da CMM, Homero de Miranda Leão, a audiência pública foi um momento de esclarecimento para lideranças e índios residentes em Manaus, e ainda uma oportunidade para que os profissionais da área de saúde recebessem mais informações sobre a necessidade de atendimento diferenciado às populações tradicionais.

"Quando você conhece as especificidades de cada povo aprende a respeitar, com mais propósito, a cultura do outro e é neste sentido que iremos trazer o debate à tona.
Sobretudo, quando a prefeitura se dispõe a tratar o indígena respeitando sua diferença cultural e histórica. Na audiência foram adiantados alguns aspectos do primeiro Plano Municipal de Saúde Indígena elaborado pela Semsa, que representa significativo avanço no que tange o atendimento ao índio na capital e na área rural do município. O plano será submetido à aprovação do Conselho Municipal de Saúde em maio", comentou o presidente da Comissão.

Permitida reprodução deste citada a fonte.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

?Leia abaixo antes de comentar

* Todos os comentários são moderados;
* Comentários em 'anônimo' serão rejeitados;
* Comente somente o que for referente ao tema publicado;
* Ofensas pessoais ou spam serão rejeitados;
* Obrigado por sua visita no Manaus em Notícia e volte sempre!