Olá,  seja bem-vindo!  |  Entrar  |  Criar conta  |  Precisa de ajuda?

Entra em operação as atracações de barcos no Terminal Hidroviário de Manacapuru

Publicado para Redação em sexta-feira, 11 de junho de 2010 | 11.6.10

O Governo do Estado do Amazonas entregou na manhã da quinta-feira, 10, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (SEINF), o Terminal Hidroviário de Manacapuru, que começou a operar sob a responsabilidade da SNPH.

+Siga a gente no Twitter!

Durante a solenidade a secretária estadual de Infraestrutura, Waldívia Alencar, destacou a importância do empreendimento, que passa a interligar a Manaus municípios como Manacapuru, Anori, Anamã e Coari, além de inúmeros outros, das calhas dos rios Solimões, Madeira e Juruá.

“O Governo do Estado está promovendo a geração de emprego e renda, além de facilitar o escoamento da produção destes municípios, que farão de Manacapuru o portão de entrada de suas mercadorias para a capital, Manaus, que é o maior centro consumidor da produção local, principalmente de hortifrutigranjeiros”, disse ela.

Além do pessoal do SNPH, da SEJUS, Polícia Militar, Policia Civil e Corpo de Bombeiros, dentre outros órgãos que passam a prestar serviço no local, o porto de Manacapuru também aumentará a oferta de empregos para cooperativas de Moto Táxi, taxistas e estivadores.

Segurança

Logo após a solenidade de entrega do porto, que passa a ser operado pela Sociedade Nacional de Portos e Hidrovias – SNPH, foi realizada uma visita às instalações, comandada pela secretária de Infraestrutura, Waldívia Alencar, e pelo diretor-presidente da SNPH, coronel Gonzaga.

“Este porto pode receber qualquer tipo de embarcação regional com o máximo de segurança, o que não acontecia anteriormente” destacou Gonzaga.

A estrutura do novo porto oferece diversos serviços aos usuários, desde um balcão para informações turísticas, um posto de atendimento da Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania – SEJUS, que vai exercer, em parceria com a Agência de Refugiados da ONU, uma fiscalização rigorosa para coibir o tráfico de pessoas, o trabalho infantil e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

As polícia Militar e Civil também estarão presentes, coibindo, por exemplo, o tráfico de entorpecentes e o comércio ilegal de madeira. O Corpo de Bombeiros conta com uma estrutura completa de salvatagem, com mergulhadores e todo material necessário para qualquer tipo de operação naquele porto.

A área destinada a receber os passageiros é bem espaçosa e conta com todas as instalações necessárias a um bom serviço como lanchonetes, banheiros e um amplo salão de espera.

Complexo

O sistema fluvial do porto de Manacapuru é constituído por uma ponte em estrutura metálica com 20 metros de comprimento; outras duas pontes metálicas com 45 metros cada uma, construídas em chapas de aço carbono com passarelas para pedestres, sendo que delas com flap móvel para acompanhar a subida e a descida do rio.

Entre as duas pontes principais foi construído um flutuante de apoio com seção retangular medindo 19 metros de comprimento por 6m de boca e 2m de pontal, além de um bloco de apoio de concreto entre estas duas pontes.

O flutuante principal, encarregado de receber a atracação dos barcos regionais, tem 62 metros de extensão por 16m de boca e 2m de pontal. Este flutuante dispõe de um convés com dois conveses e acesso por rampa e passarela para pedestres. Os dois flutuantes possuem sistema de ancoragem com cabos de aço e guinchos com molinetes elétricos, com portas de 35 toneladas cada uma, além de defensas de pneus em todo o perímetro do cais.

Na parte civil, no chamado retroporto, foram executados serviços de terraplenagem e aterro da área destinada à implantação do terminal de passageiros e do estacionamento, além do corte de talude na lateral do terminal de passageiros.

A área em si é bastante espaçosa, contendo – afora o estacionamento, os prédios da administração e do Terminal de Passageiros propriamente dito, ambos construídos com estrutura de concreto e alvenaria de tijolo cerâmico com cobertura de perfis metálicos e telhas de barro, mais apropriadas ao clima local.

Fonte: AGECOM
Foto: Roberto Carlos/AGECOM


Permitida reprodução deste citada a fonte.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

?Leia abaixo antes de comentar

* Todos os comentários são moderados;
* Comentários em 'anônimo' serão rejeitados;
* Comente somente o que for referente ao tema publicado;
* Ofensas pessoais ou spam serão rejeitados;
* Obrigado por sua visita no Manaus em Notícia e volte sempre!